e-Portefólio ARE

Análise e Avaliação de Recursos Educativos Online

12-02-2012 03:53

Actualizado a 13/02/2012

 

 

Enquadramento

 

No âmbito da unidade curricular Análise de Recursos Educativos, sob a orientação do Professor José Mota, do mestrado Comunicação Educacional Multimédia, Universidade Aberta, foi-nos proposto selecionar e elaborar uma grelha de análise e avaliação de um recurso educativo online. A escolha do recurso teve por base os seguintes critérios: inserir-se num contexto educativo, que esteja acessível de forma livre a qualquer utilizador, e sem necessidade de instalação de software adicional.

 

Objetivo da análise

 

Prede-se como objetivo avaliar o recurso educativo “Edmodo” efetuando uma análise da sua componente pedagógica de forma a compreender as suas vantagens. Assim sendo, esta análise pretende obter uma avaliação global do recurso assim como as suas potencialidades educativas, tendo em conta alguns domínios: identificação, técnico, linguístico, pedagógico e usabilidade.

 

 

Segundo CARVALHO (2007), existem cinco componentes, como pode ser visível na figura, que deverão estar relacionados entre si. “Eles contribuem para dinâmicas interativas, autossuficientes e de responsabilização na aprendizagem e na produção de trabalhos”.

Assim sendo, o recurso escolhido baseou-se primeiramente na utilização destas cinco componentes que de seguida será analisado através dos domínios referidos.

 

 

Breve descrição do Recurso

 

O recurso selecionado foi o Edmodo que é uma plataforma de rede social privada e gratuita para a educação. Simples, prático, com imenso potencial e de fácil utilização. Para a sua utilização o utilizador terá de efetuar um registo de forma a criar a sua conta (professor, aluno ou pais) e poderá utilizar este tipo de recurso online sem necessidade de instalação de software adicional. Este recurso encontra-se disponível em http://www.edmodo.com.

 

O Edmodo é uma das maiores ferramentas de web educativas e aplicativos móveis que já foram lançados na web. Consiste numa rede social de aprendizagem livre e segura vocacionada para professores, alunos e escolas. Este é disponibilizado através de uma plataforma em tempo real para troca de ideias pois é um dos melhores meios de comunicação professor-aluno. O Edmodo permite que alunos e professores se mantenham conectados através da emissão de anotações, respondendo a notificações, verificando mensagens e eventos futuros, e ao mesmo tempo estar longe da sala de aula. É um aplicativo universal que se encontra disponível na web e em formato móvel. Em suma, Edomod é uma plataforma de micro-blogging adaptado para fins educacionais. É construído em torno da colaboração em grupo fechado, o que significa que só os estudantes que disponham de uma senha podem aceder ou participar no seu grupo.

 

 

Avaliação do Recurso

Depois de algumas pesquisas e de analisado algum material disponibilizado pelo docente, a presente grelha de avaliação foi elaborada e adaptada ao recurso escolhido recorrendo ao manual “Evaluating Selecting and Managing Learning Resources” e também com suporte à grelha de avaliação SA@AUSEF.

Esta grelha teve em atenção os seguintes domínios:

• Identificação do recurso;

• Domínio técnico;

• Domínio linguístico;

• Domínio pedagógico;

• Domínio de usabilidade.

 

 

A grelha de avaliação encontra-se preenchida da seguinte forma:

1 – Mau | 2 – Suficiente | 3 – Bom | 4 – Muito Bom | NA – Não aplicável 

 

 

Quanto ao domínio técnico foram focados os aspetos essenciais na utilização deste tipo de recurso educativo online. O mais importante na análise deste domínio é determinar o bom funcionamento do recurso e determinar de que modo é possível utilizar a plataforma. 

 

Em relação ao domínio linguístico, a sua grande desvantagem recai na utilização da língua portuguesa disponível, embora exista a possibilidade de utilização de língua portuguesa, a mesma é utilizada como Português – Brasil. Esta opção poderia ser aperfeiçoada efetuando uma atualização para Português – Portugal, de forma a implementar corretamente os términos gramaticais e vocabulário português. 

 

 

No domínio pedagógico, as potencialidades encontradas impulsionam este recurso para uma boa escolha na prática educativa. No entanto, para que seja uma boa seleção, não poderemos esquecer as linhas orientadoras. Uma vez que a sua dinâmica é criada como uma rede social educativa, esta plataforma permite ao professor e aluno uma extensão da aula para fora do contexto físico, a escola.

 

 

Quanto ao domínio da usabilidade, esta plataforma revela responder na perfeição a este domínio sem problemas de maior, inclusive, disponibiliza uma aplicação para dispositivos móveis permitindo a visualização, interação e acompanhamento dos conteúdos a decorrer na plataforma de uma forma rápida, simples e intuitiva. Embora ainda exista alguma necessidade de otimização nos dispositivos móveis, a aplicação lançada responde de um modo positivo ao pretendido, sendo que, este é um tipo de dispositivo cada vez mais utilizado pelos jovens.

 

 

Considerações Finais

A realização deste trabalho foi bastante interessante uma vez que permitiu efetuar uma análise mais pormenorizada dos recursos disponíveis online. Embora tenham sido efetuadas algumas conclusões em cada domínio à medida que foram avaliados, penso que acima de tudo, este trabalho permitiu focar aspetos importantes na escolha de um recurso antes de avançarmos para a sua escolha.

 

Como docente, esta análise possibilitou a criação de uma grelha de avaliação que sem dúvida irei utilizar para selecionar futuros recursos a utilizar.

 

Referências Bibliográficas

CARVALHO, Ana Amélia. (2007). Indicadores de qualidade “sites” educativos – Sistema de avaliação, certificação e Apoio à utilização de Software para a Educação e a Formação, Número 2, Ministério da Educação. Consultado em 12/02/2012. Disponível em: http://www.crie.min-edu.pt/files/@crie/1210161429_05_CadernoII_p_55_78_AAAC.pdf.

 

SACAUSSEF (2008). Guião de Apoio à Avaliação de produtos Multimédia. Ministério da Educação. Consultado em 12/02/2012. Disponível em: http://www.crie.min-edu.pt/files/@crie/1220024785_13_SACAUSEF_III_115a124.pdf.

 

 

Publicação do Documento

 

 

Aspetos fundamentais da avaliação de Recursos Educativos Online (REO)

18-01-2012 04:42

 

Com o aparecimento da Web 2.0 muitos são os recursos que diariamente são colocados nesta grande rede mundial, a internet.

 

Tim O'Reilly (2004) refere que a “Web 2.0 é a mudança para uma internet como plataforma, e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Entre outras, a regra mais importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pelas pessoas, aproveitando a inteligência colectiva.”

 

Assim sendo, muitos são os autores que hoje em dia desenvolvem recursos de forma colaborativa ou individual e os disponibilizam para uma partilha activa utilizando este meio de comunicação, a internet. Entre muitos recursos que são possíveis encontrar online, muitos deles são lançados ou disponibilizados num contexto educativo, contudo, muito se tem questionado ao longo dos anos sobre a avaliação dos mesmos, ou quais os critérios a contemplar na sua avaliação para integração num contexto educativo.

 

Em Portugal, de forma a tornar este processo de selecção e avaliação simplificado, surge então através de uma parceria entre o Ministério da Educação e da Universidade de Évora, o projecto com o nome de Sistema de Avaliação, Certificação e Apoio à Utilização de Software para a Educação e a Formação (SACAUFSEF).

 

“Em síntese, (…) um recurso digital de interesse para a educação e formação é um objecto ou serviço a que se acede através da Internet, que contém intrinsecamente uma clara finalidade educativa, se enquadra nas necessidades do sistema educativo português, tem identidade e autonomia relativamente a outros objectos e satisfaz padrões de qualidade, de acordo com os critérios de avaliação definidos no âmbito do Projecto SACAUSEF.” 

 

Quando nos focamos na avaliação deste tipo de recursos, muitos são os critérios referidos por vários autores. No caso de Costa, F. (2007) refere que quanto à designação de “conteúdos educativos” podemos encontrar na Internet os mais diversos tipos de recursos, sendo que importa numa primeira fase proceder à sua diferenciação de modo a facilitar a definição de critérios e tornar possível a sua avaliação. Nesta primeira análise, poderemos então enquadrar os recursos em três diferentes estratégias de avaliação:

  • Conteúdos expressamente desenhados para apoiar situações estruturadas de aprendizagem;
  • Conteúdos não expressamente desenhados para apoiar situações estruturadas de aprendizagem;
  • Conteúdos não incluídos nas duas categorias anteriores.

No meu ponto de vista este enquadramento será um grande ponto de partida, já que através desta diferenciação pretende-se assimilar a categoria por assim dizer do recurso identificado e focar os critérios específicos ou de acordo com cada enquadramento que serão analisados e classificados posteriormente.

 

Pinto, M. (2005) apresenta um resumo de critérios utilizados para a análise da qualidade dos recursos educativos como pode ser visível na imagem abaixo.   

 

Embora encontremos muitos critérios a implementar numa análise e classificação do recurso, para mim Pinheiro, C. (2010) apresenta no seu trabalho de pesquisa sobre Avaliação de Recursos Educativos Digitais, os conteúdos essenciais que deverão ser considerados na análise do recurso:

  • Tema;
  • Autoria;
  • Conteúdo;
  • Acesso e usabilidade;
  • Desenho gráfico e multimédia;
  • Comunicação;
  • Relação com o utilizador;
  • Custos;
  • Conservação e comunicação;
  • Acessibilidade.

 

Considerações Finais

Para finalizar, podemos então dizer que com a implementação deste tipo de avaliações e classificações dos recursos, os docentes e formadores poderão efectuar uma melhor adequação e integração de recursos no contexto educativo.

 

Os recursos educativos online são de tal forma disponibilizados que podemos encontrar uns mais adequados e vocacionados para o ensino que outros, contudo, podem ser excelentes ferramentas para os metodos de aprendizagem a implementar. Para conseguirmos escolher os recursos que melhor se enquadram no contexto que pretendemos, compete ao educador avaliar ou então recorrer aos sistemas de avaliação existentes de forma a identifcar, classificar e avaliar qual o tipo de recurso que melhor se enquadra nos intentos do docente/formador de forma a seleccionar um recurso que melhor se adeqúe e preencha o maior número de requisitos para a aprendizagem a efectuar.

 

Bibliografia

WIKIPÉDIA, Tim O'Reilly (2004) – WEB 2.0

Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_2.0 consultada em 18.01.2011 acedido em 17/01/2012

 

Ramos, J. L. et al. (2007). Modelos e práticas de avaliação de recursos educativos digitais. Cadernos SACAUSEF – Sistema de Avaliação, Certificação e Apoio à Utilização de Software para a Educação e a Formação, Número 2, Ministério da Educação. 

Disponível em: http://www.crie.min-edu.pt/files/@crie/1210161451_06_CadernoII_p_79_87_JLR_VDT_JMC_FMF_VM.pdf acedido a 18/01/2012 em


Costa, Fernando (2007). A aprendizagem como critério de avaliação de conteúdos educativos on line. Cadernos SACAUSEF – Sistema de Avaliação, Certificação e Apoio à Utilização de Software para a Educação e a Formação, Número 2, Ministério da Educação 45-54

Disponível em: http://www.crie.min-edu.pt/files/@crie/1210161396_04_CadernoII_p_45_54_FAC.pdf acedido a 18/01/2012

 

Pinheiro, Carlos (2010) – Critérios de Avaliação de Recursos Educativos Digitais

Disponível em: http://www.slideshare.net/ladonordeste/avaliao-de-recursos-educativos-digitais acedido a 21/01/2012

 

Pinto, M. (2005) - Evaluación de la cálida de recursos electrónicos educativos para el aprendizaje significativo

Disponível em: http://www.crie.min-edu.pt/files/@crie/1225103966_03_CADERNOII_p25_43_MPpdf.pdf acedido em 21/01/2012

Indicações para a Actividade 3

09-01-2012 02:15

 

TEMA 3 - Análise e Avaliação de Recursos Educativos online 

Duração: 03 de Janeiro a 06 de Fevereiro

 

Objectivos e/ou Competências a desenvolver:

  • conhecer alguns instrumentos para a avaliação de recursos educativos online, bem como o seu enquadramento e fundamentação;
  • elaborar uma grelha de análise e avaliação adequada a um determinado recurso educativo online seleccionado;
  • avaliar um recurso educativo online com base num conjunto de critérios explicitados e fundamentados.

 

Actividade 3 - Análise e avaliação de Recursos Educativos online

 

Fase 1 - 3 a 16 de Janeiro

O que fazer?

  • Explorar e refletir individualmente sobre os recursos indicados relativos a este tema; pesquisar outros recursos de interesse;
  • Elaborar um post no blog sobre os aspetos fundamentais da avaliação de Recursos Educativos Online. Esse post deverá ter uma dimensão aproximada entre 750 e 1000 palavras e ser acompanhado da tag/etiquetaare11.

Não se espera que os posts sejam resumos ou traduções sintetizadas dos recursos explorados ou pesquisados. Espera-se, antes, que reflitam uma maturação de aspetos essenciais desta problemática e uma elaboração pessoal coerente, fundamentada em autores e/ou materiais estudados. 

Nota importante: Todo o material de outros autores a que recorram na elaboração do post deve estar devidamente referido no texto (Autor, data). Nas referências bibliográficas, devem estar listados por ordem alfabética, com referência completa, todos os autores/recursos referidos ao longo do texto, e só esses. Não devem incluir nas referências bibliográficas finais autores e/ou recursos que não sejam referidos no texto.

Comentem alguns dos posts dos colegas. É um esforço adicional, mas receber o feedback de outros sobre o que publicamos é muito motivador e uma ajuda importante para a nossa aprendizagem.


Fase 2 - 16 de Janeiro a 6 de Fevereiro

O que fazer?

1) Selecionar um recurso educativo online para avaliar - este recurso deverá estar livremente acessível a qualquer utilizador, sem necessidade de registo ou instalação de software adicional;
2) Elaborar uma grelha de análise/avaliação original a aplicar ao recurso educativo online escolhido. 
Vai encontrar grelhas de avaliação no material disponibilizado que poderão servir como inspiração ou referência, mas não se pretende que construa uma grelha com a mesma dimensão e grau de complexidade (estas destinam-se a avaliar uma grande variedade de recursos e foram construídas por equipas ao longo de um período relativamente longo de tempo), Pretende-se, sim, que construa uma grelha original que seja adequada para avaliar o tipo de recurso educativo online que escolheu. Indique em que grelha ou grelhas se baseou para construir a sua.
3) Desenvolver a avaliação do recurso educativo online seleccionado;
4) Elaborar o relatório de avaliação do recurso educativo online.

O modo de publicação do relatório da avaliação é livre: blogue, wiki, página web, etc. Deverá indicar, no Fórum de apoio à atividade 3, o endereço onde pode ser consultado. Para além de outros aspectos que entenda incluir, este Relatório deve conter:

  • A identificação do recurso educativo online avaliado, bem como o endereço onde este pode ser acedido;
  • Uma breve descrição do mesmo;
  • Uma apresentação da grelha original elaborada, com breve justificação da sua estrutura e dos itens incluídos;
  • A grelha devidamente preenchida;
  • Uma avaliação descritiva global do recurso educativo online, com base na análise expressa na grelha e adicionando outros elementos considerados relevantes;
  • Outra informação que entenda ser relevante para explicitar e fundamentar a abordagem escolhida na avaliação do recurso educativo online.

 

Recursos

Escolha de 2 REA Online

20-12-2011 02:09

 

Foi proposto como fase 2 na actividade 2 a pesquisa e seleccão de dois Recursos Educativos, onde deveria ser feita uma pequena análise considerando os seguintes aspectos:

  • os endereços onde podem ser consultados;
  • um conjunto de 5/6 critérios, explicitados e fundamentados sinteticamente, que presidiram à sua escolha;
  • que adaptações faria (caso se aplique e estas sejam permitidas);
  • o modo como seriam usados (articuladamente ou cada um por si) num cenário específico. Deverá, neste passo, proceder à planificação de uma actividade de aprendizagem.

 

 

Os dois recursos indicados foram selecionados através dos repositórios:

 

 

Portal das Escolas         

 

_______________________________________________________________________________________________

Recurso 1

Operações de Álgebra Booleana

 

Tipo de Recurso: Apresentação Interactiva  

Formato: Flash

Requisitos: Recurso necessita do programa Adobe Flash Player

Nível de Complexidade: Média

Lingua: Português

Nivel de Escolaridade: Ensino Secundário

Idade e Público-alvo: 13 - 18 / Alunos

Licença: Atribuição-Uso Não-Comercial

Autor(es): José Manuel Marcelino Gonçalves

 

Descrição do recurso:

Abordagem às funções booleanas no âmbito dos sistemas digitais e arquitectura de computadores.

 

Imagem do Recurso

Alojamento do recurso em: Operações de Álgebra Booleana (Portal das Escolas)

 

Critérios de selecção e sua fundamentação:

  • Tema. O tema é muito pertinente para os alunos que iniciam áreas curriculares na área das tecnologias ( Aplicações Tecnológicas de Electrotecnia/Electrónica, Planeamento, Montagem e Manutenção de Redes e Equipamento Informático, Práticas de Electrónica, Práticas Laboratoriais de Electrotecnia/Electrónica, Tecnologias da Informação e Comunicação, Tecnologias do Equipamento ou Tecnologias Informáticas). Nesta fase os alunos que frequentam este tipo de disciplina apresentam já maturidade para interpretarem e perceberem as operações booleanas, permitindo o desenvolvimento de raciocínio na leitura da lógica simples apresentada. O recurso apresenta uma excelente correspondência entre as expectativas criadas na contextualização e a forma como foi tratado (a sua concretização).
  • Conteúdo. O conteúdo é bastante adequados sendo apresentado de forma simples e clara possibilitando grande proximidade e interação com os alunos. Este recurso foi produzido para um ambiente de sala de aula sendo à partida muito bem aceite pelos alunos. Os conteúdos apresentam-se de forma estruturada e adaptada ao nível de escolaridade do público-alvo.
  • Linguagem adequada. A linguagem utilizada neste recurso é clara e ajustada para alunos deste nível de ensino, mesmo na apresentação dos termos técnicos é utilizada uma linguagem simples. Apresenta uma progressão na matéria de forma simples e clara sendo complementado com visualização de exemplos através de animações para cada situação.
  • Concepção Gráfica. A concepção gráfica dos conteúdos é agradável. Foram utilizadas animações, exemplos práticos que permitem aos alunos uma melhor interacção com a apresentação, produzindo um efeito que apela à concentração. O contraste das cores, e a existência de movimento valorizam a transmissão da informação. 
  • Acesso fácil e gratuidade do recurso. Utiliza requisitos estandarizados de equipamentos e programas para ser visto e não apresenta custos na sua utilização. Embora o utilizador disponibilize o recurso de forma compilada, permite o acesso ao ficheiro fonte mediante contacto via email utilizando o portal das escolas.

 

Adaptações:

  • Concepção Gráfica. Ao nível da concepção gráfica, realizaria algumas melhorias, tornando a apresentação mais atrativa alterando o fundo de apresentação (cores e imagem) e sua disposição navegação, contudo, quando nos focamos na exposição dos conteúdos não efectuaria quaisquer alteração.
  • Implementação Audio. Ao nível das funções de audio, embora existam essas funcionalidades, nota-se que o seu autor não teve disponibilidade para finalizar este tipo de implementação, que possibilitaria assim uma melhor interacção com alunos especiais ou mesmo de forma ao recurso ser compreendido fora sala de aula.
  • Exercicios Propostos. De uma maneira simples e complementando os exercicios apresentados aumentaria o número de execicios no final de forma a permitir consolidar melhor os conteúdos apresentados. 

 

RECURSO - Operações de Álgebra Booleana

Planificação para uma atividade de aprendizagem

  • Destinatários   

            - Alunos do 10º do Curso Profissional de Eletrotecnia - Técnico de Electrotecnia

            - Disciplina – Sistemas Digitais

 

  • Objetivos

            - Interpretação e identificação de funções lógicas de Álgebra Booleana.

 

  • Competências

            - Desenvolver capacidades de raciocínio lógico;

            - Interpretar e implementar os conteúdos apresentados;

            - Capacidade para estruturar funções lógicas;

            - Habilidade para implementar circuitos recorrendo a integrados de lógica simples (AND, OR, NOT, NAND, NOR) de forma a realizar as funções lógicas.  

 

  • Metodologias

     O professor utiliza os conteúdos do recurso em espaço de sala de aula recorrendo a uma apresentação interactiva. Inicia a aula efectuando uma breve abordagem aos conteúdos leccionados anteriormente referentes à lógica digital.

     As atividades disponibilizadas são concretizadas de forma individual utilizando o quadro interactivo ou computadores dos alunos e em trabalho de grupo em laboratório, de acordo com o tempo estabelecido. Após análise e implementação das funções booleanas cedidas pelo professor, os diferentes grupos,  apresentam ao professor os trabalhos elaborados segundo esquemas lógicos apresentados e facultados pelo professor.

 

  • Duração da actividade

            - 45 min. de aula teórica, aplicando este recurso

            - 90 min. de aula em laboratório, utilizando o recurso como suporte.

                    - Duração total desta Actividade 135 min. ( 1 Tempo de 45 min. + 1 bloco de 90min.)

  •  Avaliação

            - Adequação da atividade;

            - Trabalho individual e em grupo; 

            - Rigor nas montagens e manuseamento de equipamento electrónico;

            - Dinâmica de grupo.

 

  • Recursos

            - Computadores da escola e dos alunos;

            - Video projector, de preferência Quadro Multimédia Interactivo;

            - Rede Internet;

            - Software não propietário para visualização dos recursos - flash e páginas de Internet;

            - Kit de Sistemas Digitais para implementação dos exercicios em laboratório.

 

 

 

Recurso 2

iTALC - Monitorização e Controlo de Sala da Aula

 

Tipo de Recurso: Software  

Lingua: Inglês

Licença de uso: GNU General Public License (Licença Pública Geral) 2.0

Autor(es): Tobias Doerffel

 

Descrição do recurso:

iTALC é um software livre para gestão da sala de aula, permitindo aos professores ver e controlar os computadores e interagir com os alunos. Suporta os sistemas operativos Linux, Windows XP, Windows Vista e Windows 7.

 

Alojamento do recurso em: iTALC

 

Critérios de selecção e sua fundamentação:

  • Prática pedagógica. Através do uso deste recurso o professor poderá boquear os computadores dos alunos possibilitando um maior controlo da sala de aula e a exposição de conteúdos directamente no compuador dos alunos permitindo desta forma maximizar a aprendizagem na sua exposição de conteúdos, excluíndo situações de distração habitualmente conhecidas como a utilização de outros softwares ou recursos pelos alunos. 
  • Apoio às actividades. Possibilita a visualização em tempo real da realização de actividades em sala de aula permitindo em tempo oportuno ao professor itervir de uma forma global (com toda a sala) ou de forma individual com os alunos.
  • Dinâmica da aplicação. Através da última versão é possível que um aluno através da sua casa ou qualquer outro lugar se possa ligar à sala de aula. Esta funcionalidade a meu ver é bastante importante e muito vantajosa, pois por exemplo imaginemos que um aluno fica doente e não tem possibilidade de comparecer à escola, de forma a não perder a progressão da matéria poderá ligar-se à sala de aula para acompanhar e realizar as asctividades a partir de outro lugar. Esta funcionalidade é possível através da criação de uma ligação VPN à rede escolar, ou à rede de suporte onde o professor emite o controlo de sessão. 
  • Concepção Gráfica. A concepção gráfica deste recurso está bastante agradável e de simples utilização.  
  • Acesso aberto e gratuito do recurso. O iTALC permite o acesso livre e gratuito.
  • Multiplataforma. O software está desenvolvido de forma a operar em várias plataformas de sistemas operativos como Linux e Windows, as mais utilizadas em educação.

 

Adaptações:

  • Linguagem utilizada. Tradução da lingua utilizada, o inglês,  para o português de forma a possibilitar uma melhor interacção com as funcionalidades.
  • Manual.  Criação de um manual rápido de instalação e configurações.

 

Actualizado a 21/12/2011


 

Planificação para uma atividade de aprendizagem

  • Descrição

        - Utilizando o recurso "Operações de álgebra booleana" referido anteriormente e sua planificação, será efectuada uma adaptação na utilização do iTALC.

 

  • Metodologias

    O Professor efectua uma breve abordagem inicial ao tema bloqueando todos os computadores dos alunos e transmitindo o recurso para difusão global. Ao mesmo tempo e caso exista esse recurso, utilizará um quadro multimédia interactivo ou videoprojector para uma melhor visualização.

    Após apresentação do conteúdo serão desbloqueados os computadores permitindo aos alunos durante 15 min. explorarem o recurso e expôr as suas dúvidas.

     As atividades disponibilizadas são concretizadas primeiramente de forma individual recorrendo o professor ao iTALC para controlar o desenvolvimento das tarefas de acordo com o tempo estabelecido.

    A realização das tarefas será implementada por parte dos diferentes grupos utilizando o computador numa primeira fase, onde os alunos enviam ao professor os trabalhos realizados utilizando para o efeito uma pasta partilhada na rede, onde o professor analisará e aplicará os seus critérios validando ou não as soluções válidas. Serão utilizadas mensagens individuais para cada grupo de forma a informar a conclusão com aprovação deste trabalho possibilitando a passagem para a implementação na parte prática em bancada de testes.

    Passando os alunos para a bancada de testes, os alunos deverão realizar a implementação do circuito resultante que após concluido será analisado pelo professor.

      

 

Considerações finais

    Através da pesquisa realizada para a realização desta actividade, permitiu-me a descoberta de imensos recursos que nem sabia da sua existência,  resultando de forma positiva a anotação de várias referências para eventuais práticas pedagógicas a desenvolver futuramente.

    Embora só dois recursos tenham sido focados neste post e que para mim foram os que se destacaram, as minhas escolhas para alés dos critérios evidenciados tiveram por base o contexto educativo que presentemente desenvolvo, a evolução tecnológica e também a duas condições que tomei de partida, apresentar um recurso segundo as licenças dás licenças Creative Commons e GNU  de acesso livre e gratuito. 

    Sem dúvida que o segundo recurso será uma mais valia inclusivé penso ser uma óptima referência para ser incluída no Plano Tecnológico das Escolas.

 

Escolha de 3 Repositórios REA Online

29-11-2011 03:31

Nesta fase, foi proposto a selecção de dois repositórios REA online. Seguindo este contexto as pesquisas desde logo começaram a ser efectuadas levando-me a seleccionar dois repositórios que acho bastante interessantes devido aos conteúdos disponibilizados e a sua politica de utilização.

 

1ª Escolha - CQ University Austrália

 

Neste repositório encontramos uma vasta lista de conteúdos e recursos REA, onde apresenta várias áreas de intervenção como imagem, vídeo, etc.

 

Segundo os "autor(es)" deste respositório, ele tem como sua grande finalidade permitir o acesso a várias ferramentas de forma a incentivar a participação no desenvolvimento de software open source.

 

Como a internet hoje em dia tornou-se num mudo muito vasto, através deste repositório será mais fácil identificar de maneira mais rápida aplicações ou recursos num determinado campo que pretendemos.

 

2ª Escolha - EducaNext

 

 

EducaNext é um serviço de apoio à criação e partilha de conhecimentos do Ensino Superior. Gostei particularmente deste repositório devido às suas características de partilhas de recursos neste contexto, não podemos esquecer que para acedermos a todos os seus recursos partilhados, o utilizador deverá efectuar o registo para se poder identificar perante alguma interacção numa partilha ou adaptação de recursos.
 
EducaNext promove a colaboração, permitindo:
1. participar numa Comunidades de Conhecimento
2. comunicar com especialistas em vários campos
3. troca de Learning Resources
4. trabalhar juntos na produção de material didático: livros, notas de aula, estudos de caso, simulações, etc
5. oferecer atividades educacionais distribuídos: palestras, cursos, workshops, discussões de estudo de caso, etc
6. distribuir conteúdo eletrônico sob licença.

Para quem pretende pesquisar num determinado tema ou campo de investigação, este será sem dúvida um bom repositório para o fazer, quanto à exposição do recurso como a pesquisa e partilha.

 

3ª Escolha - GEM Gateway to Educational Materials)

 

Repositório que fornece a professores e alunos um acesso rápido e fácil a milhares de recursos educativos, incluindo atividades, planos de aula, projetos on-line e itens de avaliação adequado para uso em sala de aula.

 

Este repositório talvez o que se destacou mais entre os três seleccionados numa vertente educacional, pois nele é possível encontrarmos imensos recursos vocacionados para a educação. Poderei mesmo afirmar que através de alguns recursos consultados neste repositório reformulei alguns planos de aula pessoais assim como a delineação de projectos quanto à sua metodologia e objectivos.

 

Enquanto efectuava esta pesquisa, numa das pesquisas descobri uma grande biblioteca da UNESCO sobre repositórios REA. Deixo então aqui o endereço, onde poderão aceder e consultar muitos mais repositórios onde uns são classificados como generalistas, outros sobre iniciativas nacionais e internacionais, entre outros, onde os repositórios aqui referidos também são figurados. 

 

 

http://oerwiki.iiep.unesco.org/index.php/OER_useful_resources/Repositories

 

 

 

Espero que gostem desta partilha!

 

Indicações para a Actividade 2

21-11-2011 01:11

 

TEMA 2 - REPOSITÓRIOS E OUTRAS FONTES DE REA ONLINE 

Duração: 21 de Novembro a 19 de Dezembro

Objectivos e/ou Competências a desenvolver:

  • conhecer alguns repositórios e outras fontes de REA online;
  • selecionar REA online com base num conjunto de critérios;
  • refletir sobre a utilização de REA online num contexto específico.

 

Actividade 2 - Repositório e outras fontes REA Online

 

Fase 1 - 21 a 28 de Novembro

Nesta fase deverá:
1) Pesquisar repositórios e outras fontes de REA online e selecionar 3 deles.
2) Partilhar as suas escolhas na base de dados "Fontes/Repositórios online (área de recursos da Atividade 2), justificando a sua escolha . Para tal:

  • clique em "Adicionar entrada";
  • preencha o campo "endereço" com o URL do repositório/fonte escolhido/a;
  • preencha o campo "texto" com o nome do repositório/fonte escolhido/a;
  • preencha a caixa de texto "Justificação da escolha" com uma breve fundamentação da sua seleção.

3) Comentar, se o desejar, algumas das propostas dos colegas. 

 

Fase 2 - 28 de Novembro a 19 de Dezembro

Nesta fase deverá:

1) Pesquisar e selecionar 2 REA online, indicando de forma breve:

  • os endereços onde podem ser consultados;
  • um conjunto de 5/6 critérios, explicitados e fundamentados sinteticamente, que presidiram à sua escolha;
  • que adaptações faria (caso se aplique e estas sejam permitidas);
  • o modo como seriam usados numa atividade de aprendizagem, procedendo à planificação da mesma.

O modo de publicação deste trabalho é livre (blog, wiki, página web, etc.), devendo ser claramente indicado o endereço onde estará disponível no Fórum de apoio à Actividade 2.

2) Comentar, caso o deseje, alguns dos relatórios elaborados pelos colegas.

 

Reflexão sobre as Potencialidades e Desafios dos REA

20-11-2011 02:35

 

Conforme solicitado nesta Actividade, foi efectuada uma análise individual à Dissertação de Mestrado de Ana Paula Alves intitulada E-Portefólio: Um estudo de caso.

 

Esta reflexão poderá ser consultada aqui.

Características dos REA

19-11-2011 01:26

 

A grande característica dos Recursos Educacionais Abertos é o seu ciclo permanente e a utilização dos 4Rs:

  • Reuse – o direito a utilizar o recurso sem alterar a forma original (exibir uma cópia exata);
  • Revise – o direito de adaptar, ajustar, modificar, ou alterar o recurso (tradução, localização);
  • Remix – o direito de combinar o recurso original ou adaptado com outros recursos para criar algo novo (mashup);
  • Redistribute – o direito de partilhar cópias do recurso, adaptações ou remisturas.

 

 

 

Segundo Martin Weller, refere ainda que os REA podem ser classificados em “Big OER” e  “Little OER” onde conclui que:  

“One key difference is that of intentionality, where big OERs are created for the specific purpose of learning, whereas little OERs may be created from a variety of motivations, but can have an educational intention ascribed to them by someone else.”

 

Fonte:

 

Weller, Martin (2010). Big and little OER.

Disponível em: http://openaccess.uoc.edu/webapps/o2/bitstream/10609/4851/6/Weller.pdf

Recursos Educacionais Abertos

19-11-2011 01:20

 

O que são Recursos Educacionais Abertos?

Os Recursos Educacionais Abertos (REA), ou OER (Open Educational Resources) em inglês, segundo Hilen (2006), “REA são materiais educacionais digitais disponibilizados de forma livre e aberta para a comunidade académica em geral, que os utilizam para o ensino, aprendizagem e pesquisa.” Este termo apareceu pela primeira vez numa conferência da UNESCO em 2002.

 

Para além da definição citada por Hilen, poderemos encontrar outras que se complementam, tais como:

“The open provision of educational resources, enabled by information and communication technologies, for consultation, use and adaptation by a community of users for non-commercial purposes” (UNESCO, 2002)

 

“Open educational resources are materials used to support education that may be freely accessed, reused, modified and shared by anyone” (Stephen Downes, 2011)

 

Assim sendo, segundo a OCDE, estes recursos podem ser de três tipos :

  • Conteúdos de aprendizagem

Os conteúdos de aprendizagem sustentados em REA, envolvem cursos completos, módulos de conteúdo, objetos de aprendizagem, coleções, jornais, revistas entre outros;

  • Recursos de implementação

Estes recursos de implementação revelam-se em formas de licenciar os REA para a distribuição aberta de conteúdos, descrição de boas práticas, adaptação e localização de conteúdo;

  • Ferramentas

Quando nos referimos a ferramentas no mundo dos REA, referem-se a softwares de base ao desenvolvimento, (re) utilização e distribuição de conteúdos de aprendizagem. O software, também, fornece apoio à pesquisa e organização, ferramentas de desenvolvimento, conteúdo e gestão de comunidade de aprendizagem online.

 

Em suma, os recursos educacionais abertos são recursos vocacionados para o ensino, aprendizagem e pesquisa, disponibilizados de forma livre e aberta para toda comunidade. Eles são compostos pelos conteúdos digitais de aprendizagem, ferramentas de apoio ao desenvolvimento e uso destes conteúdos, bem como recursos necessários para a disponibilização de uma forma livre a aberta.

 

Fonte:

 

Downes, Stephen (2011). Open Educational Resources: A Definition. Half an Hour.

Disponível em: http://halfanhour.blogspot.com/2011/07/open-educational-resources-definition.html

 

HILEN, J. Open Educational Resources: Opportunities and Challenges. OECD’s Centre for Educational Research and Innovation.

Disponível em http://www.oecd.org/dataoecd/5/47/37351085.pdf

Quais as licenças que existem no campo dos REA's

30-10-2011 00:24

Existem várias licenças denominadas de utilização/criação aberta. Talvez a mais conhecida em termos de conteúdos seja a Creative Commons, contudo, quando implementamos e licenciamos recursos ou conteúdos existem as seguintes licenças:

  • CC - Creative Commonsé uma organização não governamental sem fins lucrativos, vocacionada na quantidade de obras criativas disponíveis, através das suas licenças que permitem a cópia e partilha com menos restrições que o tradicional todos direitos reservados ou copyright. Para esse fim, a organização criou diversas licenças, conhecidas como licenças Creati ve Commons.
  • GNU - General Public License - é a designação da licença para software livre idealizada por Richard Matthew Stallman em 1989, no âmbito do projeto GNU da Free Software Foundation (FSF). A GPL é a licença com maior utilização por parte de projetos de software livre, em grande parte devido à sua adoção para o projeto GNU e o sistema operacional GNU/Linux. 
  • PD - Public Domain - o domínio público é geralmente definido como a soma de obras que não estejam abrangidas por direitos de autor , ou seja,
    • que não são elegíveis para direitos de autor, em primeiro lugar, ou
    • cujos direitos autorais expiraram, ou
    • que foram tornados livres para o domínio público pelo detentor dos direitos autorais.

 

Em suma desta breve abordagem, podemos assim concluir que:

  • Licenças Creative Communs são licenças que estão mais vocacionadas para conteúdos, obras, revistas, etc;
  • Licença General Public License são licenças que estão mais vocacionadas para a implementação e criação de software livre, e seus complementos como documentação relativa aos softwares;
  • Licença Public Domain é uma licença que é atribuída a certos conteúdos de dominio público. Exemplos deste tipo de licença incluem o idioma Inglês, as fórmulas da física newtoniana , as obras de Shakespeare e Beethoven , entre outras.  Contudo, este tipo de licença é necessária de forma a evitar o plágio.

 

Fonte

Creative Commons, WIKIPÉDIA (2011)

Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Creative_Com mons (Consultado a 30/10/2011)

 

GNU - General Public License, WIKIPÉDIA (2011)

Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/G NU_General_Public_License (Consultado a 30/10/2011)

 

Public Domain, WIKIPÉDIA (2011)

Disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Public_domain (Consultado a 30/10/2011)

 

Ecplorar/Creative Commons, FLIKr 

Disponível em: http://www.flickr.com/creativecommons/ (Consultado a 30/10/2011)

 

Centro de Recursos, SEGURANET

Disponível em: http://www.seguranet.pt/creati ve-commons (Consultado a 30/10/2011)

 

Licenças GNU, Site Oficial GNU Operating System

Disponível em: http://www.gnu.org/licenses/licenses.html (Consultado a 30/10/2011)

Itens: 1 - 10 de 14
1 | 2 >>